Cuidados básicos

Cuidados básicos

 Hoje sou casada, tenho dois filhos, o Pedro com onze anos e o Martim com três, foi com eles que aprendi a ser mãe, aprendi a cuidar, mimar, repreender, educar, foi com eles que aprendi a ser firme nas minhas decisões, a dizer a palavra “NÃO” e mantê-la, e eu tento ensinar-lhes tudo o que também me foi transmitido pelos meus pais. Quando o meu filho mais velho nasceu, eu tinha vinte e três anos e era tudo novidade para mim, eu tinha acabado de casar e fui morar para o seixal e entretanto nasceu o meu filho, não foi uma fase nada fácil, pois de manhã o meu marido ia trabalhar, eu não tinha carta de condução na altura e então ficava sozinha com o bebé todo o dia até o meu marido regressar do trabalho. Eu era muito receosa em relação ao meu filho, vivi muito intensamente todos os medos de ser mãe pela primeira vez, chegou mesmo uma altura que eu não deixava o meu filho sozinho numa divisão da casa, para eu poder fazer as minhas coisas em casa, deitava-o numa espreguiçadeira e levava-o comigo, até ao dia que pus a maldita espreguiçadeira em cima da mesa da cozinha, enquanto eu fazia o almoço, e não sei como, a espreguiçadeira caiu com o bebé lá dentro e só o apanhei já debaixo da mesa com a cara cheia de sangue, felizmente foi só o susto mas fez-me perceber que protecção a mais estava a fazer mal aos dois, e comecei a muito custo dar espaço ao meu filho. Com o nascimento do meu segundo filho, foi tudo diferente, é um facto que ser mãe aos vinte ou ser mãe aos trinta é como da noite para o dia, encarei tudo de uma forma mais natural e foi muito mais saudável para todos. O meu filho mais novo é muito mais independente do que o irmão.

 

Umas das minhas preocupações como mãe foram os cuidados básicos de saúde, o ter de tomar precauções para o aparecimento de doenças, esses cuidados começaram assim que eles nasceram com o teste do pezinho que é um diagnóstico precoce em que se faz o rastreio de doenças hereditárias do metabolismo e este teste é feito entre o 3º e o 6º dia de vida do bebé, com uma picada no pé e esse sangue é analisado no Instituto Ricardo Jorge, é também entregue à mãe um código de barras para posteriormente ver o resultado no site do instituto, e claro que para uma mãe são dias de angústia. Somos informados do plano nacional de vacinação e da importância das vacinas.

“O teste do pezinho consiste na colheita de algumas gotas de sangue, geralmente tiradas do calcanhar do bebé, para a realização de exames, que podem diagnosticar algumas doenças congénitas. O profissional de saúde fura o pezinho do bebé e encosta o papel especial (um tipo de filtro) no local da picada, deixando o sangue saturar todos os círculos do cartão, de ambos os lados. Esse exame ficou popularmente conhecido como "Teste do Pezinho" por ser realizado com o sangue retirado do pé do bebé.”

 

Da informação que recolhi fiquei a saber que as vacinas são o meio mais eficaz e seguro de protecção contra certas doenças. Mesmo quando a imunidade não é total, quem está vacinado tem maior capacidade de resistência na eventualidade da doença surgir.

 

 

 

 

Uma vacina não é o suficiente para se ficar devidamente protegido, por vezes são necessárias várias doses da mesma vacina para que seja, outras vezes é faz-se também doses de reforço, nalguns casos ao longo de toda a vida.

 

 

Fonte:http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/informacoes+uteis/vacinacao/vacinas.htm

 

 

Outro cuidado básico e fundamental é a alimentação, até existe a celebre frase “Somos o que comemos”, e também começa logo à nascença com a introdução do leite materno.

 

“O leite materno contém todas as proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água que o seu bebé necessita para ser saudável.
Além disso, contém determinados elementos que o leite em pó não consegue incorporar,
tais como anticorpos e glóbulos brancos. É por isso que o leite materno protege o bebé de certas doenças e infecções.”

 

Por volta dos seis meses comecei a dar ao meu filho alimentos sólidos mas com regras. Estes devem ser dados lenta e cuidadosamente um de cada vez, deve ser introduzido um alimento novo a cada semana para assim perceber se há alguma reacção alérgica. Os bebés não devem ingerir sal ou açúcar. A partir de um ano de idade já estão preparados para comer de tudo.

Devendo a partir daqui seguir a nossa alimentação de acordo com a roda dos alimentos. 

“A Roda dos Alimentos é um instrumento de educação alimentar destinado à população em geral. Esta representação gráfica foi concebida para orientar as escolhas e combinações alimentares que devem fazer parte de um dia alimentar saudável. “

 

“Utilizada desde 1977, como parte da Campanha de Educação Alimentar “Saber comer é saber viver”, a Roda dos Alimentos sofreu recentemente uma reestruturação, motivada pela evolução dos conhecimentos científicos e pelas alterações nos hábitos alimentares portugueses.”

“Mantendo o formato circular original, associado ao prato vulgarmente utilizado às refeições, a nova versão subdivide alguns dos anteriores grupos e estabelece porções diárias equivalentes, para além de incluir a água no centro desta nova representação gráfica. “

“A nova Roda dos Alimentos é composta por sete grupos, com funções e características nutricionais específicas:

·                    Cereais e derivados, tubérculos – 28%

·                    Hortícolas – 23%

·                     Fruta – 20%

·                     Lacticínios – 18%

·                     Carne, pescado e ovos – 5%

·                     Leguminosas – 4%

·                     Gorduras e óleos – 2% “

http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/enciclopedia+da+saude/alimentacao/DGS+ANA.htm