Televisão

Televisão

Ao contrário das crianças de hoje nessa altura víamos pouca televisão, lembro-me de existir apenas dois canais a RTP1 e RTP2, a forma como os apresentadores e jornalistas se apresentam nos dias de hoje mudou bastante, quando comecei a ver televisão as pessoas tinham uma apresentação muito formal, não tão formal como na geração dos meus pais mas ainda preservavam muito a sua imagem, quando havia programas em directo sentia se o stress no rosto dos apresentadores, depois começou a moda da câmara em movimento e na minha opinião exagerou-se um bocado, existiam programas que até se ficava com dores de cabeça tal não era a agitação da câmara como por exemplo o big show sic ou pior ainda, um outro onde entrava o macaco Adriano, neste momento acho que há mais equilíbrio, nota-se alguma formalidade mas sem exagero, hoje em dia num directo não há problema se alguém se enganar no que tinha para dizer, considero uma formalidade descontraída e saudável. A televisão tem um papel importante no meu dia-a-dia, é daqueles aparelhos que é a ultima coisa a desligar e o primeiro a ligar, a programação dos canais portugueses não é o que mais me fascina porque a seguir ao jantar, hora em que me posso sentar a ver televisão, só passam telenovelas, não que tenha alguma coisa contra a produção nacional porque já houve tempos em que via, mas começou-me a aborrecer a forma como estão a ser apresentadas, começam por volta das nove da noite e acabam por volta da meia-noite, é uma violência à nossa inteligência, até que se aceitava ver uma mas, e tudo com a guerra das audiências, começam por começar uma novela as 9 horas passado umas semanas já está no horário das 10 e por ai em diante, então desisti e como não as vejo tenho de optar pelos canais por cabo, vejo algumas series como Dr. House, donas de casa desesperadas, etc….O meu filho mais novo, desde muito cedo que assiste ao canal “bebe tv”, este é um canal dirigido a bebés até aos dois anos, o que mais me agrada nesse canal e acho importante para o desenvolvimento dele é que os programas são de breve duração (entre 1 a 5 minutos), a estimulação visual com figuras, movimentos e cores, paisagens diversificadas e coloridas, um ritmo lento e calmo, musicas suaves, vozes com expressões carinhosas de pais e mães e não de locutores ou animadores profissionais, é um canal que o deixa calmo e animado. Desde sempre que em casa dos meus pais se vê o telejornal enquanto se janta, esta é uma prática que ainda mantenho, é para mim interessante comentar e por vezes discutir sobre os vários temas que vão sendo apresentados, é uma forma também de os nossos filhos começarem a saber o que se passa no mundo que os rodeia, a ouvir e muitas vezes também a opinar sobre o que se passa no nosso país e não só. Há sem divida histórias mais felizes que outras, e cabe a nós pais saber explicar o que se vai passando.

É notório que a televisão foi dos aparelhos de comunicação que teve muita evolução, a primeira que tive era a preto e branco não trabalhava muito bem, a imagem não tinha qualidade estava sempre com muita “chuva”, nos dias de inverno ou quando estava muita humidade o meu pai antes de ligar a televisão tinha de passar durante uns minutos com o secador de cabelo, dizia ele que tinha de secar a humidade para que ela funcionasse bem. Existem diversas advertências para o bom funcionamento da televisão enquanto equipamento, pois a mesma não deve estar exposta à chuva nem à humidade a fim de reduzir o risco de incêndio, deveremos ter também especial cuidados quanto à limpeza, antes de limpar o televisor devemos desliga-lo da tomada eléctrica, não se deve limpar com líquidos à base de aerosois, apenas com um pano humedecido. A instalação da televisão deve ser evitada perto de lugares com água, nem deve ser colocada sobre superfícies instáveis. Existem também advertências a nível da saúde, o uso prolongado do aparelho com volume superior a 85 decibéis prejudicam a audição, existe o mito que a televisão vista de muito perto prejudica a visão mas pelo que sei não passa mesmo de um mito pois a única desvantagem de ver televisão muito perto é não poder ver todo o ecrã. A acompanhar um televisor vem sempre um Manual de instruções que deverá ser utilizado sempre antes de começar a utilizar o aparelho, pois contêm sempre informações muito importantes ao bom funcionamento do mesmo, como por exemplo a utilização do comando.

O comando é um objecto muito complexo e só consultando o manual de instruções conseguimos utilizar todas as suas funções, o que acontece em muitas casas é que o comando serve apenas para controlar o som e mudar os canais, muitos comandos são muito mais que isso e cada tecla têm a sua função e se elas lá estão, são para nos facilitar em várias funções, existem comandos com teclas directas que nos levam directamente a certas páginas, teclas onde podemos programar a hora para a televisão desligar e tantas outras, que sem a ajuda do manual de instruções não seria possível, não devemos ficar assustados quando vimos dezenas de botões nem tão pouco ignora-los, devemos acompanhar a evolução da ciência e dar-lhe uso para assim contribuir para a sua evolução.

Com o objectivo de aprofundar mais conhecimentos sobre este equipamento desenvolvi algumas pesquisas, tendo ficado a saber que “o aparecimento da televisão deve-se a grandes matemáticos e físicos, pertencentes às ciências exactas que entregaram para as ciências humanas um grande e poderoso veículo. Desde o início do século XIX, os cientistas estavam preocupados com a transmissão de imagens à distância. Em 1817, o químico sueco Jons Jacob Berzelius descobriu o selénio, mas só 56 anos depois, em 1873, que o inglês Willoughby Smith comprovou que o selénio possuía a propriedade de transformar energia luminosa em energia eléctrica. Através desta descoberta pode-se formular a transmissão de imagens por meio da corrente eléctrica. Em 1884, o jovem alemão Paul Nipkow inventou um disco com orifícios em espiral com a mesma distância entre si que fazia com que o objecto se subdividisse em pequenos elementos que juntos formam uma imagem. Em 1892, Julius Elster e Hans Getiel inventaram a célula fotoeléctrica sinal eléctrico. Em que transformou cada subdivisão em 1906, Arbwehnelt desenvolveu um sistema de televisão por raios catódicos, sendo que o mesmo ocorreria na Rússia por Boris Rosing. O sistema empregava a exploração mecânica de espelho somada ao tubo de raios catódicos. Em 1920, realizaram-se as verdadeiras transmissões, graças ao inglês John Logie Baird, através do sistema mecânico baseado no invento de Nipkow. Quatro anos depois, em 1924, Baird transmitiu contornos de objectos à distância e no ano seguinte, fisionomias de pessoas. Já em 1926, Baird fez a primeira demonstração no Royal Institution em Londres para a comunidade científica e logo após assinou contrato com a BBC para transmissões experimentais. O padrão de definição possuía 30 linhas e era mecânico. Nesse período, em 1923, o russo Wladimir Zworykin descobriu o iconoscópio, invento que utilizava tubos de raios catódicos. Em 1927, também Philo Farnsworth descobriu um sistema dissecador de imagens por raios catódicos, mas com nível de resolução não satisfatório. Zworykin foi convidado pela RCA a encabeçar a equipe que produziria o primeiro tubo de televisão, chamado orticon, que passou a ser produzido em escala industrial a partir de 1945.”           

 “Em resumo pode-se dizer que a câmara de TV capta as imagens, decompondo-as em sinais eléctricos que são mandados para um centro electrónico, o modelador (aparelho que modula as ondas em um oscilador). Os sinais são enviados em forma de ondas por uma grande antena transmissora que é encaminhada ao aparelho receptor que desfaz os sinais, recompondo-os na sua posição original, reproduzindo na tela a imagem transmitida.”

“A formação da imagem é instantânea. O dispositivo electrónico utiliza-se de pontinhos, ao invés de linhas, conseguindo desenhar o frame (imagem) inteiro a cada 1/25 de segundo. Para transmitir a imagem de um lugar para o outro utilizou-se antenas, mas como mas como as ondas são em linha recta ficou difícil transmitir para o outro lado do globo terrestre, devido à curvatura, procurando deste modo uma solução espacial. Em 23 de Julho de 1962, a primeira transmissão via satélite, o satélite artificial Telstar, lançado pela NASA dos E.U.A.”

 

“O progresso da engenharia espacial e das telecomunicações permitiu lançar satélites em órbita à volta da Terra. São eles que garantem as transmissões televisivas e as comunicações telefónicas intercontinentais que permitem comunicar um mesmo sinal em todo o mundo ao mesmo tempo. As transmissões regulares a cores nos E.U.A., começaram em 1954. Mas já em 1929, Hebert Eugene Ives realizou, em Nova Iorque, as primeiras imagens coloridas com 50 linhas de definição por fio, cerca de 18 frames por segundo. Peter Goldmark aperfeiçoou o invento mecânico fazendo demonstrações com 343 linhas, a 20 frames por segundo, em 1940.”

“Vários sistemas foram criados, mas todos iam de encontro a uma forte barreira: se um sistema novo surgisse, o que fazer com os aparelhos antigos a preto e branco que já eram cerca de 10 milhões no início dos anos 50? Criou-se nos Estados Unidos um comité especial para, no sentido literal, colocar cor no sistema preto e branco. Esse comité recebeu o nome de National Television System Committee (também conhecido como National Television Standards Committee), cujas iniciais serviam para dar nome ao novo sistema, NTSC. O sistema desenvolvido baseava-se em utilizar o padrão a preto e branco que trabalhava com níveis de luminância (Y) e acrescentaram a cronomância (C), ou seja a cor. O princípio de captar e receber as imagens em cores está na decomposição da luz branca em três cores primárias que são o vermelho (R de red), o verde (G de green) e o azul (B de blue). Numa proporção de níveis de 30% de R, 59% de G e 11% de B. Na recepção o processo é inverso, a imagem compõem-se através da somatórias das cores de pixel, ou seja, nos pontos da tela do televisor. Em 1967, entra em funcionalidade, na Alemanha, uma variação do sistema americano, resolvendo algumas debilidades desse sistema que recebeu o nome de Phase Alternation Line, dando as iniciais para o sistema PAL.”

“Nesse mesmo ano, entrou na França o SECAM (Séquentille Coleur à Memoire), mas não compatível com o sistema a preto e branco francês.”

 

 As primeiras televisões eram como a que se encontra na imagem, eram autênticos móveis. O ecrã pequeno e a imagem de fraca qualidade, os componentes electrónicos ocupavam grandes espaços.

 

As televisões agora tem uma boa imagem e a cores, e existe uma grade variedade de tamanhos e formatos.

 

Fonte: http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/eductecnol/eductecnol_trab/invenctelevisao.htm

 

 

“Um plasma é um dispositivo baseado na tecnologia de painéis de plasma (PDP, Plasma Display Panel), que foi aprimorada na última década para o mercado da televisão de alta definição (HDTV). O funcionamento baseia-se na ionização de gases nobres (plasma) contidos em minúsculas células revestidas por fósforo. Televisores de plasma têm tela totalmente plana e estão disponíveis em tamanhos até 150 polegadas, com resoluções até 2000p. Apresentam excepcional reprodução de cores e são fabricados na proporção widescreen. São painéis finos, de volume bastante reduzido em comparação aos monitores de tubo e retroprojeção com área de tela equivalente.”

Na minha casa tenho LCD, “este consiste de um líquido polarizador da luz, electricamente controlado, que se encontra comprimido dentro de celas entre duas lâminas transparentes polarizadoras. Os eixos polarizadores das duas lâminas estão alinhados perpendicularmente entre si. Cada cela é provida de contactos eléctricos que permitem que um campo eléctrico possa ser aplicado ao líquido no interior.”

Entre as suas principais características está a sua leveza, sua portabilidade, e sua capacidade de ser produzido em quantidades muito maiores do que os tubos de raios catódicos (CRT). Seu baixo consumo de energia eléctrica lhe permite ser utilizado em equipamentos portáteis, alimentados por bateria electrónica. É um dispositivo eletrónico-óptico modulado, composto por um determinado número de pixéis, preenchidos com cristais líquidos e dispostos em frente a uma fonte de luz para produzir imagens em cores ou preto e branco.”

 

“A Televisão em Portugal surgiu em 1957, sendo um grande fenómeno a nível nacional. Inicialmente, as pessoas dirigiam-se para locais públicos para poderem ver a "magia" da TV (eram poucas as pessoas que tinham televisão). Começou com as emissões do canal do estado, a RTP. Em Portugal, e em todo o mundo, inicialmente as emissões dos canais da televisão eram a preto e branco. Mas a televisão portuguesa tinha mais regras, porque nessa altura, Portugal passava pela ditadura, e havia censura. A queda da ditadura portuguesa gerou uma maior liberdade. Nos anos 1980 começaram as emissões a cores em Portugal.”